Lançamento inovador de Kit Relação com Correia da WGK

kitrelacaocorreianoticia

Baseado na transmissão das motocicletas Harley Davidson, com a diferença de ter um custo bem mais acessível, a WGK lança em janeiro de 2017 um novo conceito de Kit Relação Transmissão no mercado. O produto, criado a partir de uma tecnologia desenvolvida pela própria empresa, é referência em durabilidade e capaz de gerar economia de combustível de até 15%.
Atualmente, os Kits de Relação Transmissão disponíveis no mercado são formados pelos seguintes componentes: pinhão, coroa e corrente. No novo produto criado pela WGK, esses itens são substituídos, respectivamente, por: polia menor, polia maior e correia, fazendo a ligação. Nesse projeto, a polia menor fica fixa no eixo secundário e é fabricada em aço temperado. A polia maior, por sua vez, fica fixa na roda traseira e é fabricada em liga especial de alumínio. Já a correia, em fibra de carbono, propõe uma resistência superior ao aço.
“Nosso desafio foi viabilizar esta tecnologia para motos populares, com baixo custo. O único inconveniente é que esta peça não é um projeto original de fábrica. Por isso precisa ser feita uma adaptação na balança da motocicleta. No entanto, os benefícios são sentidos no bolso do cliente”, comenta o diretor industrial da WGK, Marcos Francisco Marchini.
Isso porque, ao trocar o Kit Transmissão Corrente pelo Kit Transmissão Correia da WGK, foi verificada uma economia de 15% no uso de combustível. “Fizemos um teste em uma rodovia, de aproximadamente 500 quilômetros. Registramos o consumo com o Kit Transmissão Corrente, na velocidade próxima de 100 km/h, e na sequência repetimos o teste com o Kit Transmissão Correia. Se uma moto CG-150 consegue fazer 30 quilômetros por litro de combustível a um custo de R$3,60 por litro, significa uma economia de R$0,54 a cada 30 quilômetros. Se você é um usuário que roda 4.000 quilômetros por mês, você vai ter uma economia de R$ 72,00. Ou seja, são R$0,018 por quilômetro rodado”, explica Marchini.
Outro ponto importante destacado pelo diretor industrial da WGK é que, por se tratar de um material com durabilidade maior se comparado ao que é utilizado atualmente nos Kits Transmissão Corrente, o Kit Transmissão Correia da WGK chega a durar até dez vezes mais. “Se compararmos o valor de ambos e o tempo de oficina a cada parada para as substituições dos Kits Transmissão, estamos falando de uma economia não só de dinheiro. É uma tecnologia que compensa mesmo e merece o investimento do motociclista”. Em números: o Kit Transmissão Corrente geralmente é trocado a cada 15 mil quilômetros. No caso do Kit Transmissão Correia, essa troca só será necessária a partir de 150 mil quilômetros.
Ruído, lubrificação e esticamento da correia também são vantagens oferecidas pelo novo produto da WGK. Segundo Marchini, o Kit Transmissão Correia é isento de ruído, se comparado com o alto índice de ruído provocado no Kit Transmissão Corrente. Não há também necessidade de lubrificação no Kit Transmissão Correia, devido ao material, enquanto que o Kit Relação Corrente tem que ser lubrificado periodicamente, sujando a roda e toda a carenagem. Por fim, no que tange o esticamento de Correia. Esse só precisa ser inspecionado a cada 30.000 Km. Já na Corrente, esse é um procedimento que chega a ser semanal.
Entenda a tecnologia
O desafio do projeto, além do objetivo de ser de baixo custo, foi a adaptação da polia menor no eixo de transmissão. Depois de um ano de pesquisa, com testes em campo, ferramentais e moldes, a WGK projetou um conjunto único, composto por polia e bucha central cônica, que, quando apertado, fixa o conjunto do Kit de Transmissão de forma rígida – não permitindo o movimento entre a polia e o eixo motriz. O trabalho inovador rendeu o depósito de uma patente, registrada em julho de 2016 no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), que compreende o sistema de fixação cônica integrado à polia.

O produto chega ao mercado em janeiro e poderá ser encontrado em todas as lojas do ramo no território Nacional.